Saturday, July 18, 2009

É Muito Injusto!


É Muito Injusto!

É tudo muito injusto nesta vida,
Por instantes queremos caminhar
Alcançar, tocar os sonhos,
Apanha-los como se fossem doces de algodão.

Mas já lá diz, o destino que não!

Se nos escapa os sorrisos de sol
Iluminados de puro amor
De coração prol
D’um anjo a debutar em flor

Já a lua tinha segredado
Os últimos desejos moribundos
Colado as asas ao anjo aqui na terra
Que iria brilhar sobre nós como estrela.

Será injusto ou será justiça?

Na ausência, nasceu o rio dor, saudade ondulando,
Moí num remoinho,
Um vazio... Num abismo
Onde os porquês caem uns sobe os outros.
Sem retorno... Num silêncio sem eco.

Será que algum dia a oclusão é sentida,
Da inesperada partida?
Aceitável a viagem sem regresso?
Como? Se a dor é algo invisível.
Só se sente a alma partida,
Um pedaço dela morreu quando da tua
Partida...

Que nos resta agora?
Olhar um céu e procurar tua estrela a brilhar
Encher os pulmões de ar
Para a dor tirar
Indagar na memória pelo teu sorriso
Que era todo amor, completo do verbo amar

Derramamos lágrimas de sofrimento
Rezamos na esperança de estares em paz
No paraíso onde a felicidade é tudo capaz
Conquistado por ti esse lugar secreto.

És o nosso anjo da paz!

2 comments:

Maria Liberdade Oliveira dos Santos said...
This comment has been removed by the author.
Maria Liberdade Oliveira dos Santos said...

Mas da justiça divina ninguém escapa! Deus ver tudo e sabe ser justo, até mesmo com os injustos.